Participação da comunidade científica nas práticas das ciências do 2.º CEB

  • Mónica Seabra Universidade de Aveiro
  • Rui Marques Vieira Universidade de Aveiro
Palavras-chave: Orientação CTS, Conceções, Comunidade Científica, Educação em Ciências, 2.º CEB

Resumo

Na atualidade a educação em ciências tem vindo a apontar para a valorização da perspetiva CTS (Ciência-Tecnologia-Sociedade) com vista à formação de cidadãos cientificamente mais literatos, com, entre outras, capacidades de tomada de decisões responsáveis. Todavia, nem sempre se têm desenvolvido práticas didático-pedagógicas com orientação CTS. Torna-se, portanto, fulcral introduzir mudanças de ênfase nas práticas de ensino e de aprendizagem. Neste contexto, este artigo sintetiza o trabalho de investigação que teve como finalidade averiguar se a estratégia pedagógica de envolver elementos da comunidade científica, no âmbito do ensino das ciências, contribui para a mudança das conceções CTS dos alunos do 6.º ano de escolaridade. Para esse efeito, foram implementadas sessões que promoveram a participação de cientistas numa turma com 21 alunos do 6º ano de escolaridade inseridos numa Escola do 2.º e 3.º CEB. O estudo teve uma natureza metodológica qualitativa com base num plano de Investigação-Ação. Na recolha de dados utilizaram-se diferentes instrumentos, designadamente a versão de Nunes (1996) do Views On Science-Technology- Society de Aikenhead, Ryan e Fleming (1989), as fichas de registo dos alunos, os questionários de autoavaliação das sessões e o diário do investigador. Por meio destes, verificouse que os alunos, na globalidade, evidenciaram conceções consentâneas com as categorias definidas como aceitáveis e realistas da ciência e da tecnologia e das suas inter-relações com a sociedade. Da análise dos resultados conclui-se que as sessões implementadas e dinamizadas pelos elementos da comunidade científica, a nível geral, contribuíram também para a mudança das conceções CTS dos alunos.

Publicado
2016-07-05
Secção
Integração de conteúdos CTS nos currículos nos países Ibero-americanos