A Revista Indagatio Didactica constitui-se num espaço editorial da responsabilidade do Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF/UA), estando, portanto, alinhada com a missão deste Centro – “produzir conhecimento capaz de contribuir para a formação de cidadãos capazes e críticos e para a criação de um mundo melhor” (CIDTFF, 2020).

A investigação em educação, de cariz teórico ou empírico, desenvolvida fundamentalmente por académicos, nacionais e internacionais, é usada e transformada para promover práticas profissionais de inovação em contextos educativos diversificados. 

Trata-se de uma revista online, de âmbito internacional, dirigida principalmente a investigadores, embora com interesse para decisores políticos, professores, formadores e outros, que pretende proporcionar situações de comunicação entre os autores dos textos e a generalidade da comunidade educativa. Visa o desenvolvimento do espírito de indagação e ação críticas, pela descoberta de relações entre o conhecimento criado pelo autor do texto e o conhecimento dos leitores sobre as realidades com que convivem e em que atuam.

A Indagatio Didactica estrutura-se em quatro secções, consoante o foco da investigação desenvolvida, que devem ser lidas como um todo coerente e não de forma atomizada:

  • Desenvolvimento Curricular e Didática; 
  • Tecnologias (Digitais) em Educação;
  • Políticas e Avaliação em Educação; 
  • Supervisão em Educação.

A secção de Desenvolvimento Curricular e Didática (DCD) publica artigos que constituam, continuadamente, contribuições de referência nos domínios em que as questões curriculares e da didática se apresentem relevantes. Este espaço assume-se, assim, como um desafio a investigadores, professores, decisores políticos e construtores de propostas curriculares, formadores de professores, estudantes de pós-graduação em educação, autores de manuais escolares, entre outros. O questionamento e análise de reformas e projetos educativos e curriculares, nacionais e internacionais, bem como propostas sustentadas pela investigação e que apontem rumos futuros, são aqui incluídos. Cabem, também, nesta secção, descrições, análises e reflexões sobre ensino e ou aprendizagem, recursos didáticos e outros trabalhos que contribuam para a divulgação e troca de experiências inovadoras no âmbito da didática e da ação educativa, em espaços formais e não formais e em toda a extensão do sistema educativo. Incentiva-se igualmente a publicação de estudos que analisem aspetos da evolução histórica do conhecimento ou dos seus recentes avanços, que clarifiquem conceitos ou apresentem formas de comunicar e divulgar o conhecimento. Para além das áreas das Línguas, das Ciências, da Matemática e das Expressões, promovem-se, também, abordagens interdisciplinares e transdisciplinares. Deseja-se o cruzamento de enfoques diversos, mas assume-se um compromisso com perspetivas de investigação sobre currículo e didática e com práticas de ensino, impulsionadoras de atitudes favoráveis à aprendizagem, identificadas com educação e cultura para uma cidadania de sucesso, ativa e comprometida com a construção de um presente e de um futuro sustentáveis. 

A secção de Tecnologias (Digitais) em Educação (T(D)E) privilegia a publicação de estudos/projetos/trabalhos de investigação relacionados com a exploração, análise, desenvolvimento, produção e implementação de recursos diversificados, com fins educativos e formativos, em formato digital ou não digital, em contextos académicos, formais, não formais ou informais, assistindo diferentes modalidades de utilização. No caso dos suportes digitais, estes podem diversificar-se entre as ferramentas características da Web, softwares educativos/formativos dedicados, jogos em rede, plataformas de gestão da aprendizagem, mundos virtuais 3D, etc., incentivando-se o permanente acompanhamento da evolução da tecnologia. Os contextos podem abarcar situações de ensino presencial, em e-learning, em b-learning, por recurso a comunicações síncronas ou assíncronas, em áreas curriculares, extracurriculares ou profissionais. 

[texto em construção] 

A secção dedicada à área científica da Supervisão em Educação (SE) procura estimular e divulgar estudos que, reconhecidamente, se inscrevem na descrição, problematização e reflexão acerca de conhecimento teóricos e processos práticos de acompanhamento, orientação e monitorização de processos de ensino-aprendizagem que possam concorrer para a construção de conhecimento (individual e coletivo), numa perspetiva de desenvolvimento pessoal, institucional e humano, em diversas áreas e campos de intervenção profissional. Pretende-se, assim, contribuir para a inovação das práticas de supervisão em contextos educativos diferenciados, valorizando dinâmicas supervisivas de natureza transcurricular e multi-modal (pedagógica, curricular, profissional, institucional e investigativa).

Para além dos números regulares – dois por ano, em julho e dezembro –, a Indagatio Didactica publica números especiais, alinhados com o espírito e normas editoriais da Revista:

  • Dossiers temáticos;
  • Seleção de textos de eventos científicos em educação – congressos, encontros, seminários, … 

Ref. Bibl.: CIDTFF. (2020, 7 de julho). CIDTFF. Universidade de Aveiro. https://www.ua.pt/pt/cidtff

Indexada em: CAPES/QUALIS, categoria ENSINO, B2 (desde 2015) | RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal) | Sherpa Romeo  | DOAJ

 

Revisão

Todos os artigos são submetidos a um processo de revisão por pares duplamente cega.

Os artigos são revistos por revisores sugeridos e selecionados pelo(s) editor(es), tendo em consideração o tema do artigo.

Tal revisão é estruturada, sendo disponibilizado um sistema de categorias a todos os revisores no início do processo de revisão. O(s) editor(es) medeia(m) a comunicação entre revisores e autores, mantendo-se assim o anonimato entre ambos.

 

Acesso aberto

A Indagatio Didactica é de acesso aberto e está incluída nos Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal - RCAAP.

Todos os seus conteúdos encontram-se disponíveis gratuitamente, sem custos para o utilizador e para a sua instituição. Aos utilizadores é permitido ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, pesquisar, ou fazer ligação aos textos completos, ou utilizá-los para quaisquer outros fins lícitos, sem pedir autorização prévia à editora ou autores, tendo sempre o cuidado de citar devidamente a fonte.

A Revista atribui a cada artigo publicado um DOI (Digital Object Identifier).

 

Pagamentos

A Indagatio Didactica não cobra qualquer taxa pela submissão de artigos, avaliação por pares, revisão, publicação, disponibilização online e download.

 

Licenças e Direitos de Autor

A Indagatio Didactica tem os requisitos da licença CC BY 4.0

Todos os artigos publicados na Indagatio Didactica devem ser originais. Os autores mantêm os direitos de autor pelo seu trabalho, cedendo os direitos da primeira publicação à revista. Para a sua reprodução noutra revista, é exigida a autorização da Equipa Editorial da Indagatio Didactica.

 

Ética e Más Práticas

A Indagatio Didactica adere aos princípios de ética delineados pela COPE - Committee on Publication Ethics.

Todas as propostas de artigo submetidas com suspeita de não cumprirem aqueles princípios são rejeitadas.

Igualmente, serão rejeitadas todas as propostas em que for detetado plágio. Para essa deteção, quando tal se revele necessário, usa-se o URKUND, ferramenta disponibilizada pela UA à sua comunidade académica, ou outra que os revisores privilegiem.

Mais informações em https://proa.ua.pt/index.php/id/ethics