Iniciação científica de estudantes do Ensino Fundamental I: quanto mais cedo melhor

  • Josefa Rosimere Lira-da-Silva Secretaria Municipal da Educação – SMED, Salvador, Bahia; Escola Municipal Irmã Elisa Maria, Salvador, Bahia
  • Rafaela Santos Chaves Universidade Federal da Bahia - UFBA, Salvador, Bahia
  • Jorge Lucio Rodrigues das Dores Secretaria Estadual de Educação da Bahia, Salvador, Bahia; Colégio Estadual Edvaldo Brandão, Salvador, Bahia
  • Rejâne Maria Lira-da-Silva Universidade Federal da Bahia – UFBA, Salvador, Bahia
Palavras-chave: Iniciação Científica Júnior, Educação Científica, Centro de Ciências

Resumo

O sistema de ensino formal brasileiro está em crise. Nossos alunos apresentam baixo desempenho, segundo dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica do Ministério da Educação, onde estudantes da Bahia e de Salvador apresentam índices ainda menores que a média nacional. Seguindo a tendência mundial de valorização de espaços não formais e informais de ensino, bem como diante da importância da alfabetização científica na promoção da cidadania, surgiu o Programa Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica na Universidade Federal da Bahia (CAM/UFBA), origem desta pesquisa-ação. O objetivo desta pesquisa é compartilhar a experiência inovadora da iniciação científica de estudantes do Ensino Fundamental I, orientados por uma professora que implantou um Centro Avançado de Ciências em uma escola municipal da periferia de Salvador, Bahia, Brasil, em parceria com o Projeto “Rede Colaborativa Universidade-Escola de Educação, Vocação e Divulgação Científica na Bahia”. Foram acompanhados 15 estudantes do Ensino Fundamental I, com idade entre 10 a 12 anos, que se envolveram na escolha de temas de pesquisa; leitura e discussão de bibliografia; produção de textos, vídeos, experimentos e jogos; divulgação destes produtos no 5º Encontro de Jovens Cientistas e na Revista Jovens Cientistas. Foram produzidos 10 experimentos; 3 vídeos; 1 jogo, 1 comunicação oral e 4 artigos de divulgação científica. Os estudantes sentiram-se valorizados e orgulhosos dos trabalhos desenvolvidos. Ressaltamos a importância da relação entre Universidade e Escola para o sucesso da iniciativa, fundamental para a formação de professores e envolvimento de estudantes em atividades científicas num processo vivo e dinâmico.

Publicado
2016-07-05
Secção
Formação de Professores – Que avanços e boas práticas partilhar?