Possibilidade formativa de professores de Física a partir do caso das descargas atmosféricas

  • João Amadeus Pereira Alves Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, Paraná
  • Tiago Gruski Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, Paraná
  • Noemi Sutil Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, Paraná
  • Deborah Andrade Torquato Schimidt Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná
Palavras-chave: Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente, Formação de professores de Física, Teoria do agir comunicativo, Teoria da aprendizagem significativa

Resumo

Neste trabalho, objetiva-se discutir possibilidade formativa de professores de Física, ao se considerar a abordagem ao caso das descargas atmosféricas em sala de aula, com a análise de relações entre Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente. Apresenta-se uma proposta educacional para essa abordagem com base em pressupostos da teoria da ação comunicativa, em que se destacam potencialidades para a problematização e construção conjunta nos âmbitos explicativo, objetivo, social e subjetivo, em que se objetiva o desenvolvimento de competência linguística e comunicativa. As atividades educacionais propostas envolvem a análise do documentário “Fragmentos de paixão”, em que são apontadas possibilidades de articulação entre os referidos âmbitos. Problematização e construção conjunta são associadas ao questionamento de conhecimentos, saberes e concepções sobre a temática das descargas atmosféricas com suas regulamentações, padrões valorativos e sentimentos. Em relação ao âmbito explicativo, são consideradas fundamentos da teoria da aprendizagem significativa as modalidades representacional, de conceitos e proposicional. A análise do documentário “Fragmentos de Paixão” apresentada envolve Análise de Conteúdo. Podem ser destacadas nessas atividades as possibilidades de viabilização da instauração de discursos explicativo, teórico, prático e de críticas terapêutica e estética.

Publicado
2016-07-05
Secção
Formação de Professores – Que avanços e boas práticas partilhar?