Práticas de educação para o desenvolvimento sustentável: contribuições, limitações e possibilidades futuras

  • Lucimara da Cunha Santos Centro de Educação a Distância/Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Rejane Maria Ghisolfi da Silva Universidade Regional Integrada RS
  • Maria Arminda Pedrosa Unidade de I&D nº70/94, Química-Física Molecular/FCT, UID/MULTI/00070/2013; Departamento de Química, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade de Coimbra
Palavras-chave: Formação de Professores, Educação para o Desenvolvimento Sustentável, Relações Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente

Resumo

Este trabalho tem como propósito analisar práticas pedagógicas que fundamentam-se na Educação para o Desenvolvimento Sustentável no ensino de Ciências no Brasil e em Portugal, na busca de elementos que possam subsidiar o desenvolvimento de ações formativas que possibilitem a articulação desta abordagem, com o enfoque Ciência, Tecnologia e Sociedade. Buscaram-se respostas para o seguinte questionamento: que contribuições e limitações dos processos formativos analisados, na proposição de práticas versando sobre ciência, tecnologia, sociedade e questões ambientais, foram identificadas? Têm-se como objeto de estudo duas propostas: curso Formação de Educadores/Professores em Educação para o Desenvolvimento Sustentável (Brasil); oficina Educação para um Desenvolvimento Sustentável – Mudanças Climáticas e Edublogues Climántica (Portugal). Os sujeitos da investigação são professores brasileiros, de Ciências da Natureza, licenciados em Química e Biologia, e portugueses, de Ciências Físicas e Naturais, licenciados em Química, Biologia, Física e Geologia. Adotou-se a opção metodológica qualitativa, do tipo estudo de caso, para organizar, analisar e interpretar os dados. Os resultados indicam contribuições no desenvolvimento de conhecimentos e ações, que possibilitam articular questões de ciência, tecnologia, sociedade e ambiente, embora com limitações identificadas no domínio das ações. Outros aspectos relevantes: a importância de inserir conhecimentos sobre os temas discutidos nos processos formativos no ensino de ciências, e a importância da formação continuada para a qualificação deste ensino. A formação nos moldes como foi implementada foi/é viável, embora se tenha alguns aspectos a melhorar em termos de organização e conteúdo. A produção docente foi uma possibilidade promissora, na qual os professores passaram a ser autores.

Publicado
2016-07-05
Secção
Formação de Professores – Que avanços e boas práticas partilhar?