Escrita científica em inglês para investigadores da área da psicologia e da educação: Orientações e recursos úteis

  • Daniel Ruivo Marques Universidade de Aveiro, Departamento de Educação e Psicologia & CINEICC – Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Coimbra
  • Patrícia Christine Silva CIDTFF, Departamento de Educação e Psicologia, Universidade de Aveiro https://orcid.org/0000-0002-4192-2090
Palavras-chave: Escrita científica, inglês, psicologia, educação, artigos

Resumo

A publicação de artigos científicos em revistas especializadas é, atualmente, o veículo privilegiado para a disseminação da investigação científica. Ainda assim, muitos investigadores sentem receio e insegurança quando são solicitados a redigir artigos em inglês, principalmente os mais inexperientes no uso desta língua na escrita. Este artigo destina-se a investigadores, sobretudo das áreas da psicologia e da educação, que pretendam iniciar ou consolidar a sua escrita científica em inglês, e tem como objetivos centrais, por um lado, sensibilizá-los para a pertinência e a importância de publicarem os seus trabalhos em língua inglesa e, por outro, fornecer-lhes algumas orientações práticas e dicas úteis para serem bem-sucedidos nessa demanda. Para tal, iremos procurar desconstruir alguns mitos relacionados com a escrita científica em inglês e, posteriormente, iremos apresentar alguns exemplos de expressões frequentemente utilizadas em textos científicos naquelas áreas.

Publicado
2021-07-28
Secção
Outros olhares