Ensino remoto e a formação de professores: questionamentos para a reorganização pedagógica na pandemia

Palavras-chave: Pandemia-Covid-19, Ensino Remoto, Formação de Professores, Questionamentos, Prática Pedagógica

Resumo

Esse artigo, faz parte de uma pesquisa pós-doutoral em andamento, que busca tecer reflexões sobre os questionamentos elencados por docentes e discentes, frente ao desafio do ensino remoto, provocado pela pandemia do corona-vírus. O locus desse estudo são os cursos de formação de professores oferecidos pela Universidade de Aveiro (PT) e pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC - (BR). Porém, no presente trabalho são apresentados resultados e reflexões parciais da referida investigação, com base na coleta de dados apenas da UDESC em relação aos questionamentos surgidos no meio acadêmico do Centro de Educação a Distância (CEAD) dessa universidade. Neri e Rodrigues (2014); Lopes (2013); Moreira (2009), entre outros autores concebem que a formulação de questões é fundamental para o desenvolvimento e consolidação do pensamento crítico e reflexivo. Essa é uma competência central, importante para o professor lidar com situações problema imprevisíveis, que é característica da profissão docente. A abordagem da pesquisa é qualitativa, tipo Estudo de Caso, inspirada nos princípios de Minayo (2016), Ludke e André(2013). Na análise, os dados foram agrupados em quatro categorias, conforme os princípios preconizados por Bardin (2011). Os questionamentos destacaram as seguintes preocupações: capacidade de conexão, condições psicológicas e ambiente adequado ao estudo, gerados pelo confinamento de todos os membros da família em casa. Com base nas indagações levantadas, muitos problemas foram detectados e soluções buscadas. Portanto, conclui-se que a elaboração de questões contribuiu para a construção e reconstrução das práticas pedagógicos.

Publicado
2021-10-19
Secção
Supervisão