Aprender a Cooperar na Aprendizagem das Ciências: Um estudo de caso em Estudo do Meio do 2.º ano do 1.º Ciclo do Ensino Básico

  • Tânia Fernandes Agrupamento de Escolas de Real
  • José Luís Coelho da Silva Universidade do Minho, Instituto de Educação Centro de Investigação em Educação
Palavras-chave: aprendizagem cooperativa, Jigsaw, TGT, estudo do meio

Resumo

A aprendizagem cooperativa é perspetivada como uma finalidade e uma estratégia educativa em virtude de poder contribuir para o desenvolvimento de competências de cooperação e, simultaneamente, se constituir como uma via propiciadora da aprendizagem. É neste quadro teórico que se idealizou, concebeu, implementou e avaliou uma intervenção pedagógica, caracterizada, sumariamente, pela operacionalização das atividades de aprendizagem cooperativa - Jigsaw1 e TGT2 – e pelo envolvimento de 27 alunos de Estudo do Meio do 2.º ano de escolaridade. A metodologia de investigação adotada consistiu na operacionalização articulada de procedimentos qualitativos e quantitativos, a partir de dados recolhidos através de tarefas de aprendizagem e da aplicação aos alunos de um questionário de avaliação final global. Os resultados obtidos apontam o contributo das atividades de aprendizagem cooperativa no desenvolvimento significativo de competências de cooperação. O tipo de temática científica e a dinâmica de cooperação são os fatores mobilizados pelos alunos para a atribuição de maior ou menor valor educativo às atividades de aprendizagem cooperativa. A dificuldade na realização da tarefa de pesquisa de informação, característica da atividade Jigsaw, é assinalada pelos alunos como a razão que justifica terem sentido mais dificuldades na atividade de aprendizagem cooperativa Jigsaw do que na TGT. Os resultados obtidos afirmam a possibilidade da operacionalização no 1.º Ciclo do Ensino Básico de abordagens pedagógicas focalizadas na aprendizagem cooperativa, mas indicam, também, a importância do envolvimento dos alunos em tarefas de reflexão sobre os processos pedagógicos de modo a incrementar o impacto educativo destas abordagens.

Publicado
2016-12-14
Secção
Desenvolvimento curricular e didáctica