Comunicação de ciência em um museu itinerante para aprimorar o aprendizado inclusivo: perspectivas dos coordenadores do museu

Palavras-chave: Museu de ciência móvel, comunicação de ciência, formação, percepções e coordenadores de museus

Resumo

No Brasil, os museus de ciências itinerantes viajam para lugares remotos promovendo o aprendizado científico inclusivo. Este estudo, com três coordenadores de um destes museus, analisa como eles percecionam as práticas de comunicação dos mediadores e como estas podem ser melhoradas. As entrevistas, efetuadas a estes actores, sugerem que os coordenadores defendem um modelo do diálogo de comunicação, mas as várias restrições que enfrentam na seleção dos mediadores nem sempre lhes permite selecionar os mais competentes. Como resultado, os medidadores nem sempre estão preparados para promover a comunicação de ciência desejada, usando frequentemente o modelo do “deficit”. Apesar desse cenário, os coordenadores acreditam que as práticas dos mediadores podem ser aprimoradas, por exemplo, com recurso a cursos de formação e ao engamento destes agentes em projetos que lhes permitam desenvolver uma identidade com o museu. 

Publicado
2021-02-11
Secção
Desenvolvimento curricular e didáctica