Manuais escolares de Ciências Naturais do 7.º ano de escolaridade: análise das suas características estruturais, tecnológicas e didático-pedagógicas

  • Elisabete Peixoto Universidade de Aveiro; DigiMedia - Digital Media and Interaction Research Center
  • Luís Pedro Universidade de Aveiro; DigiMedia - Digital Media and Interaction Research Center
  • Rui Marques Vieira Universidade de Aveiro; CIDTFF - Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores
Palavras-chave: manual escolar, ciências naturais, recursos digitais, transmedia, educação em ciências

Resumo

O artigo que aqui se apresenta enquadra-se numa das fases de um trabalho de investigação de doutoramento da primeira autora sobre a temática “Utilização do transmedia no ensino das Geociências”. Este estudo constitui o ponto de partida referente à situação atual acerca das características de um dos recursos pedagógicos mais utilizados em sala de aula em Ciências Naturais em Portugal, o manual escolar. Tendo por base um dos objetivos gerais de aprendizagem pretende-se analisar as características estruturais, tecnológicas e didáticopedagógicas de manuais escolares daquela disciplina, adotados no concelho de Aveiro para o 7.º ano de escolaridade no ano letivo 2016/2017. Nesta análise foi utilizado um instrumento de avaliação previamente validado por especialistas em multimédia educativa e didática das ciências. Os resultados obtidos, para o tópico em análise, permitem destacar que os manuais escolares apresentam características estruturais adequadas ao nível de escolaridade a que se destinam, são tecnologicamente semelhantes entre si e incluem alguns recursos digitais. No entanto, a análise das características didático-pedagógicas permitiu verificar que estas estão, na sua maioria, ausentes dos manuais escolares, principalmente no respeitante à educação em ciências, como por exemplo, identifica, formula ou procura respostas para questões-problema ou questões-desafio, toma decisões, ou estabelece ligações entre elementos de diferentes áreas de conteúdo. Logo, torna-se imperativo contribuir para o desenvolvimento de atividades e recursos educativos que permitam colmatar essa situação e promover o desenvolvimento de conhecimentos, capacidades e atitudes científicas dos jovens.

Publicado
2018-12-19
Secção
Desenvolvimento curricular e didáctica