Provas de Aferição em Expressão e Educação Físico-Motora no 1º ciclo em Portugal – expectativas dos professores

  • Maria João Silva Departamento de Educação e Psicologia, Universidade de Aveiro
  • Mariana Pereira Departamento de Educação e Psicologia, Universidade de Aveiro
  • Rafaela Queirós Departamento de Educação e Psicologia, Universidade de Aveiro
  • Samuel Ferreira Departamento de Educação e Psicologia, Universidade de Aveiro
  • Rui Neves CIDTFF, Departamento de Educação e Psicologia, Universidade de Aveiro https://orcid.org/0000-0002-3285-7733
Palavras-chave: expressão e educação físico-motora, provas aferição, expectativas, professores 1º ceb

Resumo

O presente estudo centra-se sobre as perceções de professores do 1º ciclo do ensino básico (ceb) relativamente às Provas de Aferição de Expressão e Educação Físico-Motora (PAEEFM) realizadas pelos alunos do 2º ano de escolaridade em 2016/2017. Com o papel de aferir o nível de desenvolvimento, desempenho e resposta motora dos alunos, estas provas foram estruturadas em torno de competências de 3 blocos programáticos (Perícias e Manipulações, Deslocamentos e Equilíbrios e Jogos). Para a recolha de dados foi estruturado um questionário submetido a validação prévia, que foi respondido on-line por 239 professores do 1º ceb em exercício de funções em várias zonas do país. Os dados foram tratados em termos de estatística descritiva e análise de conteúdo. Os resultados apontam para uma reduzida valorização das PAEEFM em simultâneo com uma grande dispersão de opiniões sobre a sua importância. Os professores consideram globalmente os alunos preparados positivamente para as PAEEFM, esperando que estes tenham menos dificuldades no domínio dos “Jogos Infantis”, ao mesmo tempo que a sua grande maioria nada mudou nas suas aulas de EEFM em função da realização das PAEEFM.

Publicado
2019-12-19
Secção
Avaliação em educação