Sargaço – Importância ecológica, riscos e potenciais aplicações

  • Maria João Martins FCUP
  • Cristiano Soares
  • Ruth Pereira
  • Marcos Rubal
  • Fernanda Fidalgo

Resumo

As praias arenosas são a representação da interface dinâmica entre os ecossistemas marinho e terrestre e têm sido alvo de diversos estudos, sendo o sargaço o exemplo de uma das interações mais estudadas neste âmbito. O sargaço é o resultado da acumulação da matéria orgânica de organismos alóctones, como ervas marinhas e macroalgas nas praias, cuja composição em termos de espécies varia de acordo com inúmeros fatores. A sua localização espácio-temporal também varia, pois este resíduo é influenciado pelas correntes marítimas e pelo ambiente da praia onde é depositado. O sargaço desempenha inúmeras funções ecológicas, servindo de alimento, abrigo e habitat a inúmeras espécies, é considerado um hotspot biogeoquímico e, após a sua decomposição, pode fertilizar as águas costeiras. Contudo, a sua acumulação em excesso acarreta inúmeros inconvenientes, como o impacto negativo no setor turístico, a libertação de gases com efeito de estufa e até mesmo a morte de alguns organismos. Deste modo, são necessárias novas estratégias para o reaproveitamento deste resíduo, havendo já estudos que apontam o potencial da utilização do sargaço para diversos fins. Esta revisão pretende mostrar a importância e os riscos da acumulação deste resíduo, salientando também alternativas para uma reutilização sustentável do mesmo.

Publicado
2020-01-22
Secção
Artigos