Acesso ou Registar-se para submeter um artigo.

Condições para Submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita e não se encontra sob revisão ou para publicação por outra revista. Caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao Editor".
  • Os ficheiros para submissão encontram-se em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF (desde que não ultrapassem 2MB)
  • URLs para as referências foram fornecidos quando disponíveis.
  • O texto está em espaço duplo; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Instruções para Autores, na secção Sobre a Revista.

Instruções para Autores

Normas para a submissão de conteúdos

A submissão de artigos, bem como todos os contactos decorrentes do processo de revisão e publicação, é efectuada exclusivamente online, através da plataforma de revistas das Universidade de Aveiro.

 

A submissão deve constar de um mínimo de dois ficheiros 

1) Carta ao editor (máximo 1 página A4)
Deve conter um breve resumo sobre a relevância do artigo, indicando o título, os autores, o contacto do autor com o qual deve ser mantida a correspondência e o número de figuras e/ou tabelas submetidas.

Os autores devem declarar:
i) que o artigo não é uma cópia ou tradução de artigos previamente publicados ou submetidos para publicação noutra revista; 
ii) que os co-autores têm conhecimento da submissão do artigo e que autorizam um dos autores a manter a correspondência com a revista;
iii) no caso de explorações internacionais, que cumpriram com as regras de ética da União Internacional de Espeleologia;
iv) no caso de trabalhos científicos, os autores devem declarar que obtiveram as licenças necessárias para a realização dos trabalhos, nomeadamente em zonas protegidas, com espécies protegidas ou em contextos arqueológicos.

 

2) Ficheiro Word com o manuscrito

O manuscrito deve ser enviados em ficheiros Word, Arial 12, com espaçamento entre linhas de 1,5 e com parágrafos identificados por tabulação. As secções devem ser destacadas a 'negrito'. Os manuscritos têm que ser escritos em língua portuguesa, inglesa ou espanhola, sendo da responsabilidade dos autores a correcção linguística e a adequação da linguagem. Todo os manuscritos passam por um processo de revisão por pares. Os editores poderão sugerir alterações nos textos e poderão também recusar a sua publicação com base na falta de qualidade e relevância de um manuscrito. A formatação de termos em itálico deve ser exclusivamente usada no caso de nomes estrangeiros, ou nomes que sigam regras de nomenclatura específicas. As unidades de medida devem seguir as regras do sistema internacional.

 

 

ESTRUTURA DOS ARTIGOS

Todos os artigos devem incluir: título do artigo em negrito, nome dos autores, afiliações dos autores, endereço, e-mail do autor para correspondência, resumo (máximo de 200 palavras) e palavras-chave (máximo sete). Título, resumo e palavras-chave devem ser apresentadas em Português e Inglês.

Sempre que possível, a estrutura dos artigos deve incluir as seguintes secções: Introdução, Material e Métodos, Resultados, Discussão, Considerações finais, Agradecimentos e Referências Bibliográficas.

 

TABELAS E FIGURAS

Tabelas e figuras devem estar citadas no texto (Fig. 1; Figs. 2-3; Tabela 1) e numeradas pela ordem em que surgem ao longo do texto. A legenda da tabela é colocada em cima e a legenda da figura é colocada em baixo. As figuras devem ser submetidas em ficheiro separado com resolução mínima de 200 dpi. 

 

TOPOGRAFIAS

As topografias são consideradas figuras e os autores devem ter em conta o facto de as mesmas serem reproduzidas em formato A4. Todas as topografias devem incluir orientação, data de realização e respectivas coordenadas da entrada da cavidade, é ainda conveniente indicar o grau de precisão definido pela British Cave Research Association. As topografias devem seguir a simbologia internacional estabelecida pela União Internacional de Espeleologia.

 

 

REFERÊNCIAS

Todas as publicações citadas no texto devem ser listadas na secção de Referências Bibliográficas. Deve ser feita uma verificação cuidada para evitar erros e/ou omissões, relacionados com os nomes dos autores e/ou datas de publicação, quer nas citações ao longo do texto, quer na lista de referências.

As citações ao longo do texto devem ser apresentadas por ordem cronológica e por ordem alfabética no caso de publicações com a mesma data. A lista de referências deve ser apresentada por ordem alfabética do último nome do primeiro autor e, para publicações do mesmo autor, por ordem cronológica; publicações do mesmo autor e do mesmo ano devem ser referidas usando letras distintivas  exemplo: (Pupo, 1986a,b).

Para referir publicações no texto, deve ser indicado o nome do(s) autor(res) (sem inicial), seguido da data de publicação, 

i) trabalhos de um só autor: Pupo (1986) ou (Pupo, 1986) 

ii) trabalhos com dois autores: Soares & Carvalho (1989) ou (Soares & Carvalho, 1989)

iii) trabalhos com três ou mais autores: Neves et al. (2007) ou (Neves et al., 2007)

 

As referências bibliográficas no final do artigo deverão estar ordenadas alfabeticamente e ter os seguintes estilos:

i) Publicações periódicas:
Reboleira A.S.P.S., Borges P., Gonçalves F., Serrano A.R.M. & Oromí P. (2011). The subterranean fauna of a biodiversity hotspot region - Portugal: an overview and its conservation. International Journal of Speleology, 40(1): 23-37.

 

ii) Dissertações/teses:
Reboleira A.S.P.S. (2012). Biodiversity and conservation of subterranean fauna of Portuguese karst. Tese de Doutoramento. Universidade de Aveiro. 333 pp.

iii) Livros e relatórios publicados:
Cunha L. (1990). As Serras Calcárias de Condeixa-Sicó-Alvaiázere: Estudo de Geomorfologia. Instituto Nacional de Investigação Científica. 329 p.

Rodrigues M.L. (Coord.) (2007). Glossário Ilustrado de Termos Cársicos. Edições Colibri. 164 pp. 

 

iv) Capítulos em livros editados e artigos em actas de conferências:
Reboleira A.S.P.S. & Sendra A. (2012). Is there a vertical limit for the distribution of subterranean arthropods? 93 pp. In: Kováč L., Uhrin M., Mock A. & Ľuptáčik P. (Eds.) Abstract Book of the 21th International Conference of Subterranean Biology. Published by Pavol Jozef Šafárik University in Košice, Slovakia. 

 

v) Recursos bibliográficos online:
SBE (2013). Cadastro nacional de cavernas do Brasil. Disponível online: http://www.cavernas.org.br, em 29/05/2013.

Política de Privacidade

Os nomes e endereços fornecidos nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.